Darwin, por Toni d'Agostinho

Este blog homenageia o cientista Charles Darwin (acima, no desenho de Toni d'Agostinho) que desvendou a origem da vida.

quinta-feira, 26 de março de 2015

O ATEÍSMO É LIBERDADE








Admiro a cultura e o conhecimento de Richard Dawkins. Seu livro, Deus, um delírio, tem mais de quatrocentas páginas para provocar os deístas, contrapondo argumentos à existência de deus, com lógica, com a ciência e, principalmente, com muita paciência. Paciência para com os deístas. Paciência que eu não tenho. Para mim, a inexistência de deus ou de deuses e, por conseguinte, o desmoronamento de todo o arcabouço das religiões, são algo tão claro e cristalino, baseado em apenas um único argumento: o ser humano não precisa de deus ou de deuses. O pensamento ateu é libertador. Quando o ser humano afirma: deus não existe, ele está tirando de seu pescoço toda a cangalha deísta de ódios, de exclusões, de temores, de subserviência a "representantes de deus", com sua ganância, sede de poder e arrogância. Pense bem: não há mais céu nem inferno. Não há mais pecado. Não há mais tempo perdido com rezas, cerimônias, cultos, leituras inúteis e pregações de submissão e de exclusão do outro, por não ter o mesmo deus, a mesma religião. Não vou levantar nenhum outro argumento a não ser esse. Se quiserem que eu acredite que deus existe, que provem, cientificamente, a sua existência. Nós nascemos ateus, tornamo-nos deístas por imposições sociais, de convivência, já que, desde o berço, o que eu chamo de lobby deísta se manifesta, impondo seus conceitos, sua liturgia. Não, não precisamos de deus. E qualquer um que viver por algum tempo a experiência de não pensar em deus como aquele "cara" que o vigia o tempo todo, que sabe tudo a seu respeito e cobra dízimo e exige que o cultue; qualquer um que deixe de se submeter às extravagâncias de uma religião conseguirá chegar a esta conclusão óbvia: deus não existe, porque você não precisa dele. Não, não se precisa de deus ou deuses para se viver. O ateísmo é liberdade. Liberdade total de pensamento. Não de fazer tudo o que quiser, mas viver livre dentro de uma ética que, para os ateus, tem como centro, como orientação de sua vida, valores exclusivamente humanos, baseados no respeito à vida, ao outro e à natureza. Não há necessidade de livros de revelação escritos há centenas ou milhares de anos, exaltando deuses carniceiros, para que vivamos em harmonia com nosso interior, com as demais pessoas, com a natureza e com com todos os demais seres vivos deste planeta, respeitando a vida acima de tudo e preservando as condições ideais de vida na Terra.



2 comentários:

  1. Excelentes palavras! Também sou um admirador das teorias do Professor Dawkins. Recentemente criei um blog EVIDENCE que trata da divulgação do pensamento científico e do abandono dos mitos criados pelas religiões. Aguardo sua visita. Grande abraço.

    Endereço do blog: www.evidence88.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Excelentes palavras! Também sou um admirador das teorias do Professor Dawkins. Recentemente criei um blog EVIDENCE que trata da divulgação do pensamento científico e do abandono dos mitos criados pelas religiões. Aguardo sua visita. Grande abraço.

    Endereço do blog: www.evidence88.blogspot.com.br

    ResponderExcluir